Calma, o leão ainda é legal

As Crônicas de Nárnia é aquele tipo de filme que não é o Senhor dos Anéis, apenas isso, mas como todo e qualquer filme de batalha épica entre seres que não existem sempre chama atenção, enquanto houver a possibilidade de gerar lucro no bolso de produtores sempre vai existir a possibilidade de termos mais uns 20 Crônicas de Nárnia, mesmo existindo só 7 livros aonde a história dos filmes se baseia.

O roteiro de “A Viagem do Peregrino da Alvorada” é aquela coisa de sempre, crianças que do nada vão pra Nárnia e vivem altas aventuras, com a diferença que nesse último filme está tudo sem explicação nenhuma, embora eu nem reclamo muito porque a idéia é clara: surpreender o público com um filme 3D cheio de efeitos visuais legais.

Dessa vez só três crianças vão pra Nárnia, Lucy, a mais nova dos irmãos que cresceu e perdeu todo aquele carisma de criança, Edmund, que sempre foi um personagem principal não muito interessante e o primo deles, Eustace, o novo personagem de um garoto que deveria fazer as pessoas no cinema rirem, mas não atinge esse objetivo. Todos eles entram em Nárnia sem nenhuma explicação e aparecem no mar, aonde são resgatados pelo navio liderado pelo Príncipe Caspian (aquele do filme anterior que a gente só lembra pelo nome porque faz parte do título daquele filme). Óbvio que não é explicado o que aconteceu com os dois irmãos mais velhos, eles apenas não estão nesse filme e pronto. O que acontece a seguir é a história mais confusa e sem noção até mesmo pra um contexto de criaturas irreais que eu só cito aqui pra situar quem lê: a bordo do navio eles descobrem 7 ilhas aonde em cada uma delas existe um desafio e uma espada, o objetivo é reunir as 7 espadas numa das ilhas que contém a mesa de Aslam (o leão), uma vez reunidas as espadas, o mal é dissipado (o mal pra quem não sabe é uma nuvem verde que aparece do nada e faz as pessoas desaparecerem) e todos vivem felizes. Como esperado, as crianças conseguem cumprir esse objetivo de forma muito eficaz, e a história de forma geral é basicamente essa. Se você não entendeu minha explicação, relaxa que você também não vai entender nada quando assistir.

eu cresci e agora sou mulher

O que realmente interessa nesse filme é o Leão Aslan, que além de ser muito bem feito é quem salva tudo e todos, ele é o único personagem bem construído em todos os sentidos dessa franquia, é imponente e a voz do Liam Neeson funciona muito bem num leão falante, Aslan é aquele personagem que aparece só no fim justamente pra fazer as pessoas assistirem até o final, porque se não fosse ele, seria difícil alguém acima de 10 anos assistir o filme todo. Toda a franquia Crônicas de Nárnia é cheia de metáforas sobre o cristianismo, aonde Aslan representaria deus na história, mas isso fica bem implícito e na verdade é irrelevante, porque a gente acaba dando mais atenção pro fundador da Wikipedia pedindo doação do que pra mensagens desse tipo.

Pelo relativo fracasso de bilheteria desse filme, é provável que parem nesse último, eu e C. S. Lewis, o idealizador de toda a história agradecemos muito, porque embora eu não tenha lido, provavelmente a história dos livros é bem melhor que a adaptação no cinema.

Update: a galero nos comentários falou que no final do segundo filme é explicado porque os irmãos mais velhos não aparecem, o motivo é que eles cresceram e talz, valeu vo6 que me avisaram isso. Outra coisa é que está clara desde o primeiro post desse blog e até no próprio about, é que os post consistem em opiniões, não críticas, então parem de encher a porra do saco e quem quiser ler uma crítica é só ir no site da folha, veja, estadão e afins, mas se quiserem continuar a encher nos comentários, continuem porque eu sou bem chegado um piseiro bem feito =)

Anúncios

Sobre procrastino

estou a espera de uma cura pra vida, esse oxigênio ta me matando.
Esta entrada foi publicada em filmes com as etiquetas . ligação permanente.

10 respostas a Calma, o leão ainda é legal

  1. tremendamente certo, pra ter noção eles começaram na segunda história, e pularam pra quarta, acho… foi horrivel!

  2. A historia do livro é SEMPRE melhor que a dos cinemas, mas eu vi o filme.. e.. nao gostei e ai fiquei com preguiça e sem vontade nem uma de ler os livros D=

  3. Rafael R diz:

    Pedro, eles não ‘pularam’ a história, eles estão lançando de acordo com a ordem de publicação dos livros, e não seguindo a ordem cronológica, e sobre o post, o Pedro e a Susana não aparecem mesmo nesse filme, mas no final do segundo filme conta que eles não vão mais para Nárnia e tal :}

  4. Edu diz:

    Ai como eu ADORO SER BBK, LA VAI:

    Eu li todos os livros, ainda não vi o filme, mas A viagem do peregrino da Alvorada não tem essa história não! O principe Caspian vai atras dos fidalgos que tinham fugido quando o tio mal dele virou rei (no filme 2, que é o livro 4), e recupera todos!

    Foi explicado sim porque os dois mais elhos não voltam: eles estão velhos demais pra voltar pra nárnia, isso é dito no segundo filme

    E o filme pula do segundo livro pro quarto porque o terceiro é uma história totalmente diferente, porque o segundo termina com os 4 voltando pra nárnia, enquanto o terceiro conta uma história de um cara lá que vive na época que eles eram jovens reis

  5. senhor f diz:

    infelizmente, os livros não são TÃO melhores
    é que são livros infantis, tem uma linguagem beeeem simples. Mas ainda são muito bons

    Ainda não li A Viagem do Peregrino da Alvorada, mas acho difícil ser muito diferente do filme. Pena

  6. Dany diz:

    Eu acho assim: pra você fazer uma crítica à uma saga baseada em livros é essencial você ver todos os filmes e ler todos os livros. Acho que faltou essa base pra crítica fcar mais legal…
    Vou reforçar o que já comentaram aqui: no final do segundo filme é explicado pelo Aslam o porquê da Susana e do Pedro não retornarem mais a Nárnia. Claro, se a crítica desse post tivesse um propósito mais sólido, talvez fosse observado que os filmes falam sutilmente da passagem da infância/adolescência para a idade adulta. Por isso não tem sentido Pedro e Susana voltarem pra Nárnia. E o fato de “pularem” alguns livros fo explicado pelos próprios produtores na época do lançamento do segundo filme. Segundo eles, algumas histórias não tinham a participação das 4 crianças (como também já foi comentado aqui) e a produção queria aproveitar os atores… E a Lúcia perde o “carisma de riança” porque ela não é mais uma criança, oras! Ou você dormiu na parte em que ela pega a página roubado do livro de feitiços e pede para ter a beleza da Susana? beleza da Susana = oi, não sou mais criança. Enfim…

    O blog é ótimo, todos têm o direito de expressar a sua opinião e etc. Mas às vezes uma crítica sem uma base certinha soa como uma ironia muito mal feita. O filme pode não ser essas maravilhas, mas a falta de certas informações dos outros filmes fez com que esse post ficasse meio bobinho…

  7. @di_m diz:

    Como disse um amigo meu: As Crônicas de nárnia nada mais é do que um livro escrito para transformar criancinhas em prostestantes.
    Eu já li os sete livros e sei lá… talvez eles mudem o filme e melhorem um pouco pq o final do livro é decepcionante. É tipo que uma bíblia parafraseada. Se é que me entende!
    Beijos!

  8. Raquel diz:

    Então, As crônicas de Nárnia foram feitas todas com o embasamento na bíblia, claro que o filme adapta (ou deixa de fazer) muitas coisas do livro, que leva a coisa para um lado “gostoso” das pessoas verem (e comprarem). A questão da fumaça verde (mal), é apenas uma representação do que Satanás faz com as pessoas (as prende, e as tira do que eh correto e bom) do ponto de vista cristocentrico das coisas, e essas pessoas só retornam quando o bem (Aslam, representação de Deus) ajuda (como já vc ja disse que ele ajuda tudo e todos) a completar a missão que ele próprio designou. A real é que ele deu oportunidade a Susan e ao Peter para conhecerem um lado (mundo) certo, e agora que eles já tem essa base eles tem q buscar esse lado “certo” do mundo deles, assim aconteceu com a Lucy e o Edmund e acontecerá com o Eustac e a Jill na próxima crônica. Enfim, não é muito explicável pq não é um mundo humano, e a história de Lewis é uma suposição, ele não escreveu as crônicas como se fosse algo irreal, e sim como podendo existir um mundo como Nárnia que nós humanos desconhecemos, ou desconheceríamos. Resumindo: é uma brisa loca fi.

  9. Oi_Yuri diz:

    Quase dormi nessa porra de filme, além de ficar com dor de cabeça por causa do 3D ._.
    E no final, Aslan fala pro Eustace que Nárnia ainda precisa dele, então provável que tenha mais um filme, não?

  10. Desirrê diz:

    Olha, se vc falar merda de Biutiful e não tiver nenhum embasamento móderfâquer eu vou ler e achar divertido (se for divertido) anyway.
    Essa mania que as pessoas tem de achar q tudo é uma crítica de cinema e que a suposta “crítica” deve conter todos os elementos imbecis daquele povo que tem orgasmos multiplos incandescentes quando vê uma pagação de pau lazarenta pro diretor, atores, trilha sonora, fotografia, roteiro, etc. é um porre.
    Diz que achou uma bosta/maravilha de um jeito bem humorado e irônico e sem informações técnicas do imbd e vc é um idiota.
    Continue um idiota meu caro que eu continuarei a ler e a gostar deste blog.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s